AULA 19 – O surgimento da arte contemporânea no final dos anos 60: Arte conceitual, Instalação, Land Art, Intervenção urbana e outras relações entre arte e paisagem

Textos: Verbetes da Enciclopédia Itaú Artes Visuais: “Op art”, “Minimalismo”, “Arte conceitual”, “Land Art” e “Instalação”. Verbete sobre “Yoko Ono”, do livro “Mulheres Artistas” (Taschen)

 

A valorização do conceito, mais que do fazer, dá origem ao que se conheceria como Arte Conceitual, num resgate das ideias de Duchamp na primeira metade do século sobre o fazer artístico. Dentre os artistas que se destacam no período, temos o grupo Fluxus, de onde surgiriam dois nomes centrais das artes nos últimos 50 anos: o alemão Joseph Beuys e a  japonesa Yoko Ono.

Joseph Beuys, ‘The Silence,’ 1973. (Cinco rolos de negativo 35 mm, galvanizados)

Joseph Beuys, “I like America and America Likes me”, performance realizada em 1974

Performance “Como explicar uma obra de arte para uma lebre morta?”, de Joseph Beuys

A arte passa a ser reconhecida como um conjunto de proposições estéticas endereçadas ao público, e o conceito e o processo em si acabam sendo mais importantes do que o produto final.

Grapefruit (Yoko Ono) livro de propostas artísticas inspirado no zen budismo

Trecho de Grapefruit

A árvore dos desejos, de Yoko Ono

Também podemos pensar como exemplo de arte conceitual, no campo da música, a peça 4’33”, de John Cage, uma profunda reflexão sobre o silêncio e seus ruídos, a preencher os espaços vividos.

Para dar conta dessas novas propostas, uma série de modalidades artísticas surgem, como a Performance, o Happening, a Instalação, os Site Specifics e as Intervenções Urbanas. Mesmo modalidades ditos tradicionais, como a escultura, foram reinventados, como podemos ver neste trabalho abaixo, de Anish Kapoor, numa curiosa releitura do conceito de arte pública e de paisagem urbana:

No Espírito Santo, o marco inicial da arte contemporânea é a proposta de intervenção urbana do então jovem artista (19 anos) Nenna: “Estilingue”, de 1971.

O estilingue do capixaba Nenna, na Praia do Canto, em 1971

Nesse contexto, a Land Art surge como um movimento que trabalha a intervenção direta do artista na paisagem natural, como os trabalhos de Michael Heizer, Robert Smithson e da dupla (casal) Christo e Jeanne-Marie, literalmente “embrulhando” prédios públicos e intervindo em parques e recifes de coral.

Double negative, de Michael Heizer

Double negative, de Michael Heizer (vista aérea)

Quebra-mar em espiral (Spiral Jetty), obra de Robert Smithson executada em Salt Lake, 1970

Vista aérea do Spiral Jetty

Textos estudados: capítulo introdutório do livro “Performance nas artes visuais”, de Regina Melim; Verbete “Yoko Ono”, do livro Mulheres Artistas (Uta Grosenick); matéria sobre Anish Kapoor publicada na Veja; matéria sobre Christo e Jeanne-Marie, publicada na Bravo!

O Reichstag, “embrulhado” por Christo e Jeanne-Marie em 1994

Anúncios

Sobre erlyvieirajr

Erly Vieira Jr (Vitória, 1977). Escritor, cineasta e pesquisador em audiovisual. Realizou os curta-metragens "Macabéia" (16 mm, 2000, co-dirigido por Virgínia Jorge e Lizandro Nunes), "Pour Elise" (35 mm, 2004), "Saudosa" (35 mm, 2005, co-escrito e co-dirigido por Fabrício Coradello), "Grinalda" (Mini DV, 2006), "Eu que nem sei francês"(Mini DV, 2008), "Avenca" (35 mm, 2009), "Silentio"(HD, 2010), e "O ano em que fizemos contato" (HD, 2010), "A mão tagarela" (HD, 2010) e "Pra casa agora eu vou" (HD, 2012). Seus quatro primeiros curtas estão reunidos no DVD "Algumas estórias" (2008). Publicou "Contraponto, Reta, Plano" (Poemas, 1999), "-sse" (contos, 2008) e Rodapés (crônicas, 2009). Co-organizou a antologia "Instantâneo", publicada pela Secult-ES em 2005, reunindo 38 escritores capixabas contemporâneos. É professor do Departamento de Comunicação Social da Ufes e do Programa de Pós-Graduação em Artes (PPGA-UFES). É Doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ e Mestre em Comunicação, Imagem e Informação pela UFF.
Esse post foi publicado em Conteúdo de aula. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s